"Espiritismo não é a religião do futuro, mas o futuro das religiões". ...Leon Denis

"O espiritismo é toda uma ciência, é toda uma filosofia.Quem desejar conhece-lo seriamente deve pois, como primeira condição,submeter-se a um estudo sério e persuadir-se que mais do que qualquer outra ciência, não se pode aprendê-lo brincando" Allan Kardec

"Se a religião recusa caminhar com a ciência, a ciência avança sozinha."... (Allan Kardec)

quarta-feira, 4 de agosto de 2010

Perdão, perdão ,perdão!

O que é perdoar?



Há muitas ideias erradas quanto ao perdão. Há quem diga que perdoar é ser fraco, covarde. Mas, o Perdão não é fraqueza, é «sabedoria». Sabedoria divina. Quem não perdoa fica carregando feridas, prejudicando-se a si mesmo, tornando-se doente espiritual, psicológica, emocional, física e familiarmente. Por aí se percebe que não perdoar é um tremendo prejuízo e que perdoar é sabedoria divina.
Há outros que pensam que perdoar é dar o braço a torcer àquele que o ofendeu. Nada disso. Perdoar é reconhecer que tu estás ferido, que as feridas te fazem grande mal, e, por isto, tomas a decisão de curá-las pelo perdão dado, e repetido muitas vezes.
Perdoar é, em primeiro lugar, reconhecer que alguém te feriu, e, por isto, ele é culpado das tuas feridas e das tuas dores, tão prejudiciais; e em segundo lugar, decidires-te a dar absolvição, perdão generoso, misericordioso, total e absoluto, para poderes ficar curado das feridas e das suas consequências tão danosas.
Perdoar é curares-te, é libertares-te. É fazer autoterapia. Perdoar é cuidar da saúde do coração e de todo o teu ser. Perdoar é amar-se, é querer-se bem, é curar-se das feridas do próprio coração.
O perdão elimina o desamor, com todas as suas consequências tão negativas, e enche o coração de um renovado amor. Perdoar é passar pomada nas feridas do coração para as curar.
O perdão é sabedoria divina. É uma pomada, uma terapia, um remédio tão necessário que Jesus Cristo, no seu grande amor, ensinou, aconselhou e até ordenou, ensinando o perdão. Jesus foi muito rigoroso quanto à obrigatoriedade do perdão.
Precisamos de compreender o ensinamento de Jesus sobre o perdão. Nada melhor do que irmos ao texto bíblico de Mateus 18,21-22, em que Jesus ensina o perdão. Pedro perguntou:
— Mestre, quando um irmão pecar contra mim, quando me ferir, ofender, magoar, quantas vezes devo perdoar? Até sete vezes?
Pedro, talvez, até esperasse um elogio de Jesus por dizer «sete vezes»: Pois, de fato, não vamos naturalmente além de duas ou, no máximo, três vezes. Jesus respondeu:
— Pedro, não até sete vezes. Mas até setenta vezes sete.
Quanto é setenta vezes sete, na linguagem de Jesus? Com certeza não é quatrocentos e noventa. Nem é «sempre», como se costuma afirmar.
Na verdade. Jesus quis dizer: «Quando o teu irmão te fizer uma ferida, repete o curativo do perdão tantas vezes quantas forem necessárias, até te sentires totalmente curado, sem ressentimentos, sem mágoas.»
Perdoar setenta vezes sete significa perdoar total, inteira e completamente, com perfeição, a ponto de não sobrar nenhum tipo de mágoa ou ressentimento. Perdoar até curar plenamente. Repetir o perdão tantas vezes até te sentires totalmente curado das feridas do coração.
Não é exactamente assim que fazemos com as feridas físicas? Se num acidente fizeres um corte numa, perna, quantos curativos farás para curá-la? Com certeza não dirás: vou fazer dez, quinze, vinte... Mas dirás: até que a ferida fique completamente curada. Exactamente assim é o perdoar setenta vezes sete. É repetir o perdão tantas vezes quantas for necessário até que o teu coração fique completamente curado das feridas. Até te sentires limpo de toda a mágoa, dor ou desamor. Até poderes estar com a pessoa que te ofendeu como se nada houvesse acontecido.
Que maravilha! Que sabedoria é o perdão! Felizes os que a compreendem é realizam o perdão na sua vida, em todas as feridas da sua história pessoal.
Na repetição do perdão está o segredo do sucesso e da cura das feridas do coração, bem como da eliminação de todas as suas dores, tão prejudiciais à nossa vida.



Um comentário:

Beto Ribeiro disse...

Fala amigão!!!
Que bom que voltou a nos dar os ensinamentos necessários ao caminhar do dia-a-dia. rsrsrs
É... realmente sarar as feridas internas através do perdão, é um trabalho tão árduo, quanto todos os outros ensinamentos deixados pelo Mestre.
Mas se estamos encarnados, é porque o trabalho ainda não acabou, não é? Então mãos à obra!!!
Que sejamos todos merecedores da misericórdia do nosso Pai, para dar continuidade ao aprendizado.

Lindo post irmão.

Fique com Deus!
Beijo no coração.

Beto.