"Espiritismo não é a religião do futuro, mas o futuro das religiões". ...Leon Denis

"O espiritismo é toda uma ciência, é toda uma filosofia.Quem desejar conhece-lo seriamente deve pois, como primeira condição,submeter-se a um estudo sério e persuadir-se que mais do que qualquer outra ciência, não se pode aprendê-lo brincando" Allan Kardec

"Se a religião recusa caminhar com a ciência, a ciência avança sozinha."... (Allan Kardec)

domingo, 6 de fevereiro de 2011

O trabalho começou!


Amigos , o ano começou , e com ele o nosso trabalho no Centro Espiritualista, para isso faço algumas considerações sobre esses laboriosos trabalhadores que se dedicam na seara do PAI a nos ajudar no dia dia da casa, porque à Casa Espírita não basta abrir suas portas ao público para nela simplesmente entrar
quem assim desejar.
É necessário que se desenvolva um trabalho de acolhimento, com valor humano e
atendimento fraternal aos que ali chegam pela primeira vez, para que voltem outras vezes.
Este setor de trabalho é a recepção.
O Centro Espírita, antes de ser dos homens, é dos Espíritos que trabalham sob a
égide do Cristo. Receber com amor aqueles que lhe batem à porta, reconhecendo que ali
chegam enviados pelo Médico das Almas é de fundamental importância. A recepção como
setor de trabalho do Centro Espírita, humanizada e eficiente, conquistará para o Cristo o
companheiro que dele se aproxima, na esperança de ser acolhido com fraternidade.
Lembremos o conselho de Jesus aos seus apóstolos, quando os enviou à propagação
da Boa Nova, dizendo que se não fossem bem recebidos deveriam testemunhar contra os
maus recepcionistas. Ora, os que procuram o Centro Espírita e não são bem recebidos
também irão testemunhar contra ele, sem dúvida e terão dificuldade em aceitar a afirmativa
de que seus membros trabalham em nome do Senhor.
O serviço de recepção na Casa Espírita deve aperfeiçoar-se cada vez mais, não
somente na área técnico-administrativa, qualificando seus colaboradores e dotando-a de
instrumentos racionais que favoreçam um desempenho eficiente dos recepcionistas, mas,
sobretudo, no campo do amor. Amor ao trabalho que se faz e a quem dele se beneficia.
Todos os recursos que a ciência e a tecnologia nos oferecem, devemos deles fazer uso em
nossa Casa, para que, de maneira mais prática, chegue a todos a mensagem da Boa Nova,
clarificada pela lógica da Doutrina Espírita. Nada, no entanto, substitui a vibração humana da
conversação fraterna, o convite indeclinável do sorriso e da atenção amiga àquele que fala e
a força do sentimento de solidariedade expressado no desejo sincero de ajudar a quem se
sente desamparado, abandonado, confuso e desiludido.
Na boa recepção começa a assistência espiritual que a Casa oferece. Os irmãos que
atendem aos que a ela chegam pela primeira vez têm a responsabilidade de informar pelos
gestos, sentimentos e palavras, que a casa é de todos os homens de boa vontade,
desejosos em confraternizar, aprender e trabalhar na Seara do Senhor. O irmão
recepcionado sem alarido, mas com alegria, respeito e atenção, sente-se confiante,
admitindo que procurou o lugar certo para o esclarecimento que busca a respeito dos
“problemas do ser, do destino e da dor” que o angustiam.
Sabemos que os Espíritos da Seara do Cristo, no desempenho de sua tarefa de
amparo aos necessitados, encaminham das ruas, dos bares, dos ambientes de serviços
tumultuados, dos lares em desequilíbrio, os irmãos atormentados e seus atormentadores
desencarnados, todos necessitados de orientação, de solidariedade e de amor, para as
organizações religiosas mais próximas, na esperança de que ali sejam auxiliados nas suas
dificuldades.
O Centro Espírita, por motivos que muito bem conhecemos, é sempre o templo ideal para
esse atendimento, pois trabalha com certeza do internacionalismo do mundo visível como o
do invisível.
Há urgência, portanto, de se qualificar trabalhadores dispostos ao exercício dessa
tarefa básica no Centro Espírita, para que ele não venha ser somente um templo a mais na
Terra, erguido somente com paredes de tijolos, como tantas que ainda existem, e sim um
santuário do mundo espiritual na Terra, revestido com argamassa da fraternidade e
sustentado pelas colunas do amor dos corações daqueles que nele trabalham.
Os irmãos encarregados desse mister serão aqueles que já detêm um razoável
conhecimento do Espiritismo, estão integrados na instituição, são conhecedores de suas
diretrizes, normas administrativas e de suas atividades.
Seu perfil deve ser traçado como alguém simpático, atencioso e verboso suficiente
para manter um diálogo objetivo e esclarecedor com o visitante. Não é necessário dar aula
de Espiritismo, nem de psicologia, nem analisar profundamente o seu problema, isto é tarefa
do entrevistador. Recepcioná-lo carinhosamente e encaminhá-lo com segurança ao setor da
instituição pertinente ao caso, oferecendo-lhe as informações preliminares que necessite. É
oportuno lembrar que o recepcionista irá se deparar com uma diversidade muito grande de
irmãos com os mais diferentes problemas e interesses. A variação vai desde aquele que
revela o seu tormento no olhar e no falar, até àquele que simplesmente deseja assistir a
reunião pública e depois tomar um passe. São necessárias, portanto, ao recepcionista, muita
sensibilidade para uma rápida detectação do quadro apresentado pelo visitante e maturidade
suficiente para tomar decisões com amor, inteligência e energia, visto que a manutenção da
ordem e da disciplina nas adjacências da entrada principal do Centro estará a seu cargo.
Cremos que assim agindo estaremos recebendo bem aos que Jesus nos envia,
preservando a boa imagem da Sua Casa e divulgando a Sua Mensagem, o Espiritismo, de uma forma eficiente e fraterna.

Fonte consultada: Revista Internacional de Espiritismo

2 comentários:

Beto Ribeiro disse...

Fala Dudu!!!
Lindo texto, hein?!
Felizmente estamos de mãos dadas em busca de um novo mundo, e neste mundo contamos com amigos de diferentes esferas de sentimento.

Que bom termos a oportunidade de fazer da obra de Jesus, um movimento direcionado ao alto, através de nossos atos maiores, na vontade de crescer e de doar um pouco de nossa energia em funcão de um bem comum.

Sorrir sempre, amar sempre, doar sempre... Jesus nos ama de verdade, e o Pai Maior nos protege a todo instante!

Sejamos mais ternos, amigos e que a espiritualidade nos torme mais e mais sensíveis, para percebemos ao nosso lado o irmão carente, e estarmos pronto a atendê-lo e a estender-lhe a mão em nome de Cristo.

Deus nos abençoe, Deus vos abençoe!

Beijo no coração amigo!

Beto

Luiz Fernando disse...

Parabéns pelo blog...

Eu como professor de biologia e espírita achei maravilhosa a sua idéis de unir os doi temas...

Ja me tornei seguidor...

Abraço...