"Espiritismo não é a religião do futuro, mas o futuro das religiões". ...Leon Denis

"O espiritismo é toda uma ciência, é toda uma filosofia.Quem desejar conhece-lo seriamente deve pois, como primeira condição,submeter-se a um estudo sério e persuadir-se que mais do que qualquer outra ciência, não se pode aprendê-lo brincando" Allan Kardec

"Se a religião recusa caminhar com a ciência, a ciência avança sozinha."... (Allan Kardec)

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

OBSESSÃO E DESOBSESSÃO

Hoje o nosso assunto é Obsessão e Desobsessão.


São duas palavras que ouvimos muito no nosso dia a dia, até mesmo vindo de pessoas que não são espíritas. E, também, quando o sentido da palavra "Obsessão" não se refere especificamente à espíritos.


Por ex.: -quando a gente diz à uma pessoa --"Você está obcecada (obstinada) por essa ideia", ou então -"Essa sua ideia, ou comportamento já se tornou obsessão". Algumas pessoas costumam dizer até o seguinte -...Não entendo esse meu azar... deve ser encosto..." (muitas dessas pessoas não fazem a menor idéia do que isto significa quando o dizem)


-Então... de um modo simples, já sabemos o que é obsessão.


É uma idéia fixa, que na quase totalidade dos casos torna-se um comportamento doentio, atormentado, inoportuno, comportamento que as vezes vira conduta normal para a pessoa; ou então modifica um bom comportamento ou atitude. Ou, ainda, incomoda chegando a tirar o sossego de outras pessoas. Como por ex.: -amor obsessivo..., influências negativas, ou más companhias -(más companhias interferem e mudam o nosso comportamento).


Esses estados, ditos acima, incomodam as outras pessoas e não fazem bem a nós mesmos. Mudam o nosso caráter.


Dessa forma... tudo aquilo que chega a nos mudar negativamente, ou incomodar outras pessoas, não é bom para nós, muito menos para os outros.


Portanto, deve ser modificado, isto é, ratificado.


Muitos desses modos negativos nós já os conhecemos, e na maioria das vezes conseguimos identificar e também a tratá-los.


Uma das formas de tratamento é bastante simples e todos nós podemos executá-la: Um bom bate-papo, claro, simples e sincero; conosco, ou com a outra pessoa. Nessa conversa podemos identificar melhor os comportamentos ou suas influências. E a partir daí trilhar um novo caminho, ou seguir uma nova idéia. Enfim fortalecer o bom senso e a aceitação. Aceitar-se, aceitar o outro, reestruturar-se intimamente. Elevar-se moralmente.


Tanto a obsessão que a gente já conhece do comportamento humano, quanto a obsessão espiritual, sempre existiram; desde que o homem surgiu como ser ela é atuante.


Do ponto de vista espiritual a obsessão é definida como: -A capacidade de dominação que alguns espíritos sabem exercer sobre certas pessoas, ou, sobre outros espíritos.


É necessário dizer que -A obsessão não é possessão. Muitos chegam a dizer que determinada pessoa está possuída. Isto não é verdade, não é possível a possessão. Nem do ponto de vista físico, e nem tão pouco do ponto de vista espiritual. O espírito é uma forma de energia. -Dois corpos não ocupam o mesmo espaço. Esta é uma lei física e universal. Portanto dois espíritos não podem habitar um mesmo corpo carnal.


Um espírito não toma o lugar do outro em hipótese nenhuma. Dessa forma, uma pessoa jamais poderá estar tomada, ou possuída, como dizem. Mas, sim, ela estará obsedada.


Isto quer dizer que a pessoa estará "Envolvida, Influenciada, Dirigida, Comandada" . algumas vezes de um modo tão intenso, que poderá agir como um verdadeiro escravo, sem vontade própria.


Dessa forma, toda influência que um determinado espírito exercer sobre determinada pessoa e essa influência modificar seu comportamento moral, ou ainda, incomodar os outros, será definida como "influência negativa".


A obsessão só ocorre vinda dos espíritos inferiores, com maus fluídos e que tentam dominar, baseados nos mais diferentes motivos ou propósitos.


Os bons espíritos não impõem nada, não constrangem. Os bons espíritos aconselham e combatem a influência dos maus espíritos.


No entanto, se estes bons espíritos não são ouvidos e nem levados em consideração pela pessoa, eles se afastam. Ficando sem a proteção ou a presença de bons fluídos a pessoa fica a mercê dos maus e mais ainda, se essa pessoa não possuir boa índole, ou boa postura moral, corre o sério risco de ser obsedada.


Os maus espíritos se agarram àqueles que são suas presas e passam a lhes influenciar. Quando eles conseguem dominar a pessoa, se identificam como o próprio espírito da pessoa e passam a conduzi-la como uma verdadeira criança, isto é: -Sem vontade própria, fácil de comandar.


Essa ação chama-se constrangimento. Constranger significa: Induzir, Manipular, levar uma pessoa a ter idéias ou comportamentos contrários, ou negativos a sua índole.


Do ponto de vista espiritual, a obsessão varia segundo o grau de constrangimento produzido, podendo se processar de três formas diferentes:


1. Simples


2. Fascinação


3. Subjugação


• OBSESSÃO SIMPLES


Ela ocorre quando um mau espírito se impõe a uma pessoa...


-Me permitam trocar aqui a palavra pessoa pela palavra MÉDIUM.


Porquê?


Por que toda pessoa é um médium em maior ou menor grau, mesmo não sendo espírita, ou que não acredita na doutrina.


Médium quer dizer: "Meio". Isto é: Elemento pelo qual é exercida a comunicação entre o mundo espiritual e o mundo material.


Os maus espíritos dos quais me referi instantes atrás, se intrometem nessa comunicação, modificando-a. Enganando o "Meio", ou seja os médiuns, ou ainda enganando as pessoas próximas à esse "Meio".


Vale lembrar que: -um médium não está obsedado somente porque é enganado mas, sim... por se deixar enganar por espíritos mentirosos ou zombeteiros.


Se o médium for inexperiente, ou iniciante, ou ainda, for desavisado sobre esse assunto então, estará correndo maiores riscos.


Em verdade, obsessão, está, ou só existe na dificuldade de se desvincular da influência de um espírito mentiroso ou zombeteiro, ou ainda mais, de um mau espírito mais ativo, mais forte, tenaz, mais obstinado, ou que tenha um propósito específico com o médium em particular.


Devo lembrar que muitas vezes podemos apenas estar enganados com nossos pensamentos, ou ações espirituais, sem estar, necessariamente obsedado.


Normalmente no estado de obsessão simples o médium que estiver alerta, saberá muito bem, que está em contato com espíritos enganadores, pois esses espíritos não disfarçam suas más intenções ou seus desejos de contrariar. Sendo assim, o médium raramente se engana. Sente apenas o desconforto de ter suas comunicações dificultadas.


Incluem-se nessa categoria de obsessão simples, os casos de obsessão "física", i.é, as manifestações ruidosas e obstinadas desses maus espíritos, que se fazem ouvir através de pancadas ou outros ruídos. TOMEM CUIDADO COM A IMAGINAÇÃO
• OBSESSÃO FASCINAÇÃO


Esse tipo de obsessão tem consequências muito graves pois: "Pior cego é aquele que não quer ver".


A fascinação é uma ilusão provocada pela ação direta do espírito sobre o pensamento do médium. Essa ação paralisa, de alguma forma, seu julgamento sobre as comunicações.


O médium que está fascinado não acredita que está sendo enganado. O espírito que pratica esse tipo de obsessão é muito inteligente, muito esperto, é um verdadeiro artista em ganhar a confiança do médium. É tão hábil que o médium passa a confiar cegamente nele. Essa fascinação, essa "cegueira", o impede de ver a fraude. Ele fica tão fascinado, que as vezes o erro pode ser visto por todos que estão a sua volta mas, somente ele não enxerga.


Apesar desse tipo de obsessão acontecer com as "pessoas menos instruídas, mais ignorantes, ou mais simples na sua forma de pensar e agir", ela também acontece com os médiuns mais experientes, mais instruídos, tornando essa obsessão a mais perigosa de todas.


A fascinação provoca consequências graves.


O espírito obsessor guia o médium como se estivesse conduzindo um cego ou uma criança.


É muito fácil distinguir a obsessão simples e a fascinação.


No primeiro caso -O espírito sente prazer em se mostrar, ele diz, por ex. "Olha... foi eu quem fez, ou, Sou eu quem está fazendo". Ele sente prazer em contrariar.


No segundo caso -O espírito se esconde "ardilosamente". Ele nunca diz quem é de verdade e nem qual é seu propósito, se faz passar por um bom espírito, ele mente e engana. Apesar de existirem muitos sinais que demonstram que o espírito é inferior, serão difíceis de serem notados se o médium estiver fascinado. E, todo aquele que tentar abrir os olhos dessa "pessoa obsidiada" ou, fascinada será afastado do seu convívio, de alguma forma.


• SUBJUGAÇÃO


Subjugo quer dizer: Oprimir. Dominar moralmente ao extremo.


Subjugação é uma opressão que tem a capacidade de paralisar a vontade daquele que a sofre, fazendo com que haja a seu malgrado. (i.é, contrário a sua vontade)


Isto pode ser entendido da seguinte forma, "A pessoa que sofre um subjugo, está, antes de mais nada, com um certo grau de fascinação, não tem consciência do subjugo, mas, em muitos casos, tem consciência dos atos praticados. Apesar de ter essa consciência, não consegue, por vontade própria, se libertar, deixar de agir de outra maneira.


O subjugo pode ser:


1. Moral


2. Corporal


Na subjugação Moral, o médium é solicitado ou induzido a tomar decisões absurdas e comprometedoras, mas que não percebe a qualidade dessas decisões por estar fascinado.


Na subjugação Corporal, o espírito age diretamente sobre determinados órgãos materiais provocando movimentos involuntários. Por ex.: Faz o médium escrever incessantemente em qualquer hora e em qualquer lugar, mesmo nas horas e lugares mais inoportunos. Chega até mesmo a escrever com o dedo quando não acha uma caneta ou lápis.


Uma pessoa obsidiada dessa forma é levada a praticar atos ridículos, como o do homem que não sendo muito jovem e nem bonito a se ajoelhar diante de uma jovem que não conhecia e pedí-la em casamento; ou então ser forçado a se ajoelhar e beijar o chão.


Apesar deste homem praticar os atos involuntariamente, tinha consciência do ridículo e isso, o fazia sofrer terrívelmente. Só que não conseguia controlar sua vontade.


Já houveram casos de determinadas pessoas tirarem a roupa em público, ou fazerem palhaçadas em lugares e horas inconvenientes, e etc...


A obsessão é um dos maiores perigos da mediunidade.


Ela é um obstáculo a ação da bondade.


Mas, sabemos que a obsessão jamais ocorre vindo de um bom espírito, pois este se preza por querer que o médium cresça e não passe ridículos ou constrangimentos.


Os motivos e propósitos da obsessão são vários, e variam segundo o caráter do espírito. Eles podem estar vindos ainda, desta, ou encarnações anteriores.


Pode ser por vingança; uma dívida; pode ser por ódio; por inveja ou simplesmente por maldade.


A forma de combate à obsessão começa com aquele bate-papo ao qual me referi no início. Essa boa conversa será tanto com a pessoa, quanto com o espírito.


A pessoa obsidiada deve ter consciência do que está ocorrendo. Essa é uma tarefa difícil, mas deve ser feita. As vezes leva-se meses até que se consiga algum sucesso.


Quanto ao espírito zombeteiro uma das ações será cansá-lo, não lhe dando ouvidos, sem tréguas, ao mesmo tempo lhe dirigir a doutrinação.


Quanto aos insistentes, mais fortes e inteligentes, caberá somente dirigir a eles a doutrinação, pois estes não se renderão fácilmente.


Devemos pedir ajuda ao nosso anjo da guarda solicitando que ele jamais nos abandone e nos proteja sempre.


Se o caso for mais grave, então deve ser procurada uma casa espírita que possua bons médiuns, e lá receber passes energizadores. Também, submeter-se e submeter o espírito obsessor a doutrinação. E, posteriormente, nos casos ainda mais complicados, submeter-se a sessões de desobsessão.


No entanto, o remédio mais eficaz e disponível para toda e qualquer pessoa, independente de credo ou religião, será voltarmos nossos pensamentos a DEUS PAI TODO PODEROSO, dirigir nossas ações à evangelização, à bondade e a caridade, fortalecermo-nos moralmente.
Esse é o maior remédio.



Bibliografia


1. OBSESSÃO E DESOBSESSÃO


SUELY CALDAS SCHUBERT


2. DESOBSESSÃO


FRANCISCO CÂNDIDO XAVIER e WALDO VIEIRA


Ditado pelo ESPÍRITO ANDRÉ LUIZ





3 comentários:

Joselma disse...

Muito Oportuno esta postagem e de grande esclarecimento.
Quem infelizmente não tem acesso a essas informações não faz idéia da subjugação que ocorre num estado de obsessão.
Falo como vítima de uma situação gravíssima que vivi, onde eu sentia que tudo o que vivia não estava sob o meu controle. É cruel, sofremos maltrato, agonia punição pela nossa própria consciência. Tinha certeza do certo e do errado, mas que não tinha controle sobre os meus atos. É como se a cada atitude tivesse sendo levada, sentindo tristeza, mas fazia. Gostaria de deixar aqui um pedido para quem possa estar passando por momentos que contenham estas características: Procure ajuda, pois apesar de nossa vontade estar sendo manipulada, nosso desejo de mudança nos leva à cura. Agradeço a diversas pessoas que foram colocadas em meu caminho e que puderam ter com o meu caso exemplificado que tudo é possível, quando existe perseverança. Ainda continuo em tratamento comigo mesma e a cada dia em que acordo vejo que o nosso esforço vale muito à pena. É dolorido, é dificil, mas eque a cada conquista nos deixa claro que a espiritualidade trabalha e torce por todos nós. Acredite e confie. Entregue-se ao amor Divino e deixe que Seus Mentores e Amigos Encarnados conduzam a força que nos faz acreditar no Trabalho de caridade.
Valeu Edu! Deus te proteja!

gloria leite disse...

Procurei o tema, pq penso que tenho um familiar neste estado de submissão a outra pessoa, que lhe dá um comportamento estranho, mudança de carácter e comportamento incompreensível. Diz ser médium,sabe os pensamentos dos outros, e é obsessivo em relação a mim. Proíbe-me de pensar nela que só lhe trás azares. O meu problema é como posso ajudar? Que fazer de fora? Obrigada.
Maria

Luiz Eduardo disse...

Gloria deixe seu e-mail para que eu possa fazer contato, um abraço !!!